Nasceste a chorar enquanto toda a gente sorria, partiste a sorrir enquanto toda a gente chorava.

MIKI NUNCA TE ESQUECEREMOS

Foi no dia 25 de Janeiro de 2004 que tudo aconteceu no estádio D. Afonso Henriques em Guimarães.
Tudo parecia estar bem com Miklos Fehér. Naquele dia.
Quando o jogo começou, ás 19 horas e 45 minutos, Miki (como gostava de ser chamado), estava sentado no banco de suplentes à espera de entrar em campo, o que aconteceu aos 59 minutos de jogo quando este rendeu João Pereira. Fehér estava bem, foi ele que fez a assistência para o único golo que Fernando Aguiar veio a marcar aos 90.
Depois deste golo, o jogo continuou com 3 minutos compensação. Mas aos 92 minutos de jogo Fehér impediu um lance de um jogador do Vitória de Guimarães, e como mandam as regras, Olegário Benquerença mostrou-lhe o cartão amarelo, Fehér sorriu-lhe, virou-se de costas, dobrou-se, aguardou alguns segundos e caiu prostrado no relvado. De imediato os jogadores do Benfica e do Vitória de Guimarães foram ter com o avançado húngaro. O jogo parou de imediato e entraram as equipas médicas dos dois clubes. Os jogadores de ambas as equipas choravam, abraçavam-se uns aos outros e andavam desnorteados pelo relvado, enquanto os médicos tentavam reanimar o colega. Mas, ainda no relvado, Miki deu sinal de vida o que fez todo o sofrimento atenuar um pouco. Os adeptos na bancada gritavam em uníssono "Miklos Fehér". A ambulância entrou no relvado 10 minutos depois de Miklos ter caído. Este foi levado para o hospital, onde o  tentaram reanimar, mas em vão. O panorama não era nada agradável e, perto da meia-noite, o Director Clínico do hospital veio dar a noticia que ninguém queria dar e ouvir, em frente aos jogadores, técnicos das duas equipas, a um batalhão de jornalistas e a muitos populares: "Miklos Fehér veio a falecer às 23:10h".

Fotos Áudio (TSF) Vídeos
Melhores Momentos

A trágica Queda

Adeus

Homenagem

Outras Fotos

Mensagens de Homenagem

O Relato

O Relato II

A Confirmação da Morte (António Cunha Vaz)

Comunicado de Fausto Fernandes

Programa SINAIS TSF Especial Fehér

 

A Vida, a Crreira, os Melhores Momentos e a Trágica Queda

 

Deixe a sua mensagem de homenagem

"Não estamos aqui a dizer adeus, mas sim para conversar contigo e lembrar os momentos mais felizes que vivemos. Não precisava de dizer-te mas desde o momento em que nasceste gostámos muito de ti. Adorámos-te", começou.

"Sempre sonhaste ser um futebolista famoso e com dez anos disseste isso a um jornalista, lembras-te? Nós sorrimos quando ouvimos isso. Assistimos ao teu êxito no Eto Gyor, sempre te ensinámos a ser feliz, honesto e estou feliz por teres sido meu filho. Viveste anos de sucesso no estrangeiro, mas nunca esqueceste a tua Hungria, nunca esqueceste que começaste aqui, junto ao lago. Gostaste tanto do futebol, sonhavas poder jogar ao lado de jogadores que vias na televisão e até deste a tua vida pelo futebol."

A mãe de Fehér, neste emocionado discurso que foi lido diante da urna do jogador, recordou ainda o casamento com Adrianne, que estava agendado para Junho próximo. "Estávamos tão contentes por ver o vosso amor; estávamos a planear o vosso casamento para o Verão..." Finalizou com um emocionado adeus e com uma promessa: "Prometo que ficarás para sempre nos nossos corações. Até sempre, meu filho."

«Gostaram de ti em Portugal»

Mãe de Miklos Fehér

 

O futebolista internacional húngaro Miklos Fehér faleceu no dia 25/01/2004 tragicamente, com apenas 24 anos, deixando incompleta uma carreira que muito prometia e fica intimamente ligada ao futebol português, ao qual chegou com 19 anos.

»A VIDA E A CARREIRA

Nascido a 20 de Julho de 1979, na cidade húngara de Gyor, Miklos Fehér iniciou a sua carreira no Gyori Eto, ao serviço do qual cumpriu três temporadas como sénior, apontando um total de 23 golos, em 62 encontros no campeonato húngaro.

Tinha apenas 19 anos quando foi descoberto pelo FC Porto, clube no qual ingressou em 1998/99. «Tapado» pelo brasileiro Mário Jardel, Fehér jogou apenas cinco vezes no campeonato e não marcou qualquer golo, sagrando-se, ainda assim, campeão nacional.

Na época seguinte, continuou nas Antas, mas a meio da temporada acabou por ser emprestado ao Salgueiros, onde pôde, finalmente, mostrar o seu valor: conseguiu cinco golos em 14 jogos, ajudando o clube a manter-se entre os «grandes».

O futuro voltou a não passar, no entanto, pelo FC Porto em 2000/2001: voltou a ser emprestado, desta vez ao Sporting de Braga, onde cumpriu a sua melhor época em Portugal: foi um dos melhores marcadores do campeonato, com 14 tentos em 26 jogos.

Miklos Fehér mantinha agora um conflito aberto com o FC Porto, por não querer abdicar do empresário José Veiga. Em 2000/2001 teve um ano para esquecer: apenas actuou na equipa B dos «dragões», à espera de terminar o contrato e tornar-se um jogador livre.

Em 2002/2003, já livre do compromisso com a formação «azul e branca», rumou ao Benfica: marcou quatro golos na época passada e esta época somava três, em 13 encontros da Superliga, o último  em Guimarães, onde ofereceu o golo de uma vitória muito amarga.

No total, Miklos Fehér foi 18 vezes internacional A pela Hungria (três golos), cumpriu 80 encontros na principal divisão do futebol português - na qual se estreou a 22 de Agosto de 1998, na goleada imposta pelo FC Porto ao Rio Ave (4-0) - e marcou 27 golos.



Carreira: Gyori Eto (1995/96 a 1997/98), FC Porto (1998/99 a 1999/2000), Salgueiros (1999/2000, emprestado pelo FC Porto), Sporting de Braga (2000/2001, emprestado pelo FC Porto) e Benfica (2002/2003 e 2003/2004)

Internacionalizações A pela Hungria: 18 (três golos)

Palmarés: campeão nacional (1998/99) e vencedor da Supertaça Cândido de Oliveira (1998/99)

»A TRAGÉDIA

O árbitro Olegário Benquerença conta como foram os últimos momentos do jogador em campo: “Mostrei o cartão ao Fehér, não houve discussão, não houve nada de anormal, ele aceitou com enorme ‘fair play’. Depois vi ele baixar-se e com a visão lateral vi o jogador bater inanimado com a cabeça no chão. Vi logo que não era muito normal. Fiz um compasso de espera...foi um triste espectáculo. Claro que a partir desse momento o jogo foi secundário.
Os jogadores do Vitória queriam que o jogo acabasse, mas os regulamentos são cegos e não há nada a fazer senão cumprir. Como a minha vontade de continuar era nula e o tempo já estava a terminar, acabei o jogo e não fomos obrigados a continuar a sofrer. Estive sempre por perto, mas como não tenho formação, não posso descrever os equipamentos que utilizaram. O que me pareceu é que houve um esforço brutal por parte dos médicos!

Gilberto Madaíl (Presidente da Federação Portuguesa de
Futebol):
"Pessoalmente estou muito emocionado. Esta é daquelas situações que desincentiva todos quantos andam no futebol e que nos mostra que a vida é como é...Em nome da Federação Portuguesa de Futebol, quero apresentar à família as nossas sentidas condolências, assim como ao Sport Lisboa e Benfica e aos restantes clubes que representou.
É um jogador que vai deixar muita saudade, pela sua postura, entrega e profissionalismo. Este é um dia negro e triste para o futebol português".

Hermínio Loureiro (Secretário Estado da Juventude e
Desportos):
"É evidentemente uma notícia muito triste para o futebol e para o desporto português. Queria em primeiro lugar apresentar as minhas condolências à família do Miklos Fehér, à Hungria também, era um jogador internacional, ao Sport Lisboa e Benfica.
Expresso aqui a minha total solidariedade e faço votos para que estas situações que acontecem de forma anormal e súbita, infelizmente não só no futebol e na vida desportiva, mas também em outras actividades, não voltem a acontecer.
Segundo os dados que consegui recolher até ao momento, tudo foi feito, mesmo tudo foi feito, para evitar este desfecho, no estádio, no hospital, mas foi impossível de ultrapassar... Tudo foi feito para evitar este trágico desfecho.
Espero também que compreendam que é um momento difícil para o desporto português, em particular para o futebol português, e que hoje possamos expressar os nossos sentimentos de tristeza pela perca de um jovem desportista como era o Miklos Fehér".

Médicos do Benfica e Guimarães garantem que nada faltou no socorro a Fehér
O médico do Benfica, João Paulo Almeida, como porta-voz de um comunicado conjunto dos departamentos médicos de Benfica e Guimarães, garantiu que existia à disposição todo o equipamento necessário para socorrer Fehér.
"Cerca das 21h15, durante o jogo Vitória de Guimarães-Benfica, o atleta Miklos Fehér caiu prostrado, sem nenhum contacto físico. Foi, de imediato, assistido pelos dois departamentos médicos, verificando- se um quadro clínico de paragem cardíaca", explicou.
Ainda de acordo com o comunicado, "foram, depois, iniciadas as manobras de ressuscitação adequadas, até permitir o seu transporte para o hospital, existindo à disposição todo o equipamento necessário para este tipo de ressuscitação, incluindo desfibrilador".
"Logo após essas manobras, foi transportado pelo INEM para o Hospital de Sra. de Oliveira, onde veio a falecer pelas 23h10"

José António Camacho chamou-o ao minuto 59' para substituir João Pereira e Fehér correu com emoção para o campo na tentativa de contribuir para a resolução dos problemas técnicos que a equipa estava a encontrar. Mesmo ao cair do pano, colou-se à defesa contrária e descobriu Fernando Aguiar por entre um mar de pernas dentro da área, assistindo-o para o golo do triunfo. Festejou, saltou e voltou a correr em direcção à bola, disposto a manter a vantagem conquistada numa dura batalha. Tão árdua que se tornou mais sensível e os reflexos tolheram-lhe os movimentos e levaram-no a tocar com a mão na bola, após um lançamento de linha lateral favorável ao Vitória de Guimarães. Olegário Benquerença, como se impunha, mostrou-lhe o cartão amarelo. Fehér olhou para o árbitro, sorriu e terá pensado: não faz mal, já ganhámos... Segundos depois, caiu inanimado. Lutou quanto pôde, por duas vezes deu sinais de que conseguiria manter-se no campo da vida e foram 13 mil as pessoas que tentaram ajudá-lo a vencer aquele jogo cujo resultado estava viciado à partida. O último dia do camisola 29 da equipa da Luz foi na Cidade-Berço, a dos conquistadores.

 

Cronologia do drama

21h32 Fehér cai prostrado no relvado
21h33 Equipas médicas do Benfica e do Vitória de Guimarães entram no relvado
21h35 Massagistas tentam reanimar o jogador
21h36 Um elemento da equipa médica entra no relvado com um desfibrilhador
21h36 Petit entra em campo com outro desfibrilhador
21h38 Pallatsi, Moreira e Argel afastam os painéis publicitários para permitir a entrada da ambulância no terreno de jogo
21h39 A ambulância entra no terreno de jogo
21h42 Chega outro aparelho médico para tentar a reanimação de Fehér
21h44 Fehér entra na ambulância
21h45 Ambulância abandona o Estádio D. Afonso Henriques
21h50 Fehér dá entrada no Hospital de Senhora da Oliveira em Guimarães
22h10 Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, chega ao Hospital
22h21 Seara Cardoso, vice-presidente, chega às instalações hospitalares
22h35 Começam a chegar ao Hospital atletas do Vitória de Guimarães
22h45 Chega ao Hospital o plantel do Benfica
22h50 Alexandre Pinto da Costa, empresário de Fehér, chega ao Hospital
23h00 Plantel do Benfica abandona as instalações hospitalares
23h10 Miklos Fehér falece.

Blog: http://adeusmiki.blogs.sapo.pt

Deixe a sua mensagem de homenagem

 

 


© 2006 Fábio Ventura, Todos os Direitos Reservados
Está completamente proibida qualquer cópia ou reprodução de fotos ou textos contidas nesta página sem prévia autorização de Fábio Ventura